31 de ago de 2009

Don’t worry, be happy

Quem costuma frequentar (como eu) aqueles sites estrangeiros de cartões virtuais já deve ter percebido que existe dia para tudo. Tudo mesmo. As maiores esdruxulices: Dia do Banho de Espuma (8 de janeiro), Dia de Aprender a Ler Mapa Rodoviário (4 de abril), Dia de Abraçar Seu Gato (30 de maio), Dia de Trazer o Ursinho de Pelúcia para o Trabalho (8 de outubro), Dia do Hobbit (22 de setembro), Dia da Camisa Branca (11 de fevereiro), Dia do Algodão-Doce (7 de dezembro), Dia do Brinquedo Estúpido (16 de dezembro)... por aí vai, numa criatividade malucamente infinita. Mas, no meio de tanta bobice, existem pérolas do calendário. Sem querer, outro dia garimpei uma delas. O site me informou, muito educadamente, que 8 de agosto era o Admit You’re Happy Day – em bom português, Dia de Admitir Que Você É Feliz. Sim, é verdade que a data já caducou há algumas semanas, que hoje é o último diazito de agosto, coisa e tal. Meu suposto atraso, porém, fica absolvido por um detalhe: não contente de assinalar uma única data para o evento, o site declarou solenemente que agosto é o Admit You’re Happy Month – ele inteirinho. E os culpólatras de plantão que se resignem a não ter mais (des)culpas.
Porque esse dia (ou mês) maravilhoso foi criado, claro, para os culpólatras – aqueles seres viciados na insatisfação e, ao mesmo tempo, no medo dela. Um culpólatra se sente culpado demais para admitir que é feliz; ou por motivos sociais (“tanta gente não é...”), ou por razões pessoais (“tanta coisa ainda me falta...”), ou por questões profissionais (“tanta competitividade hoje em dia! pega mal me mostrar satisfeito...”). Um culpólatra autêntico sente esse tudão junto-misturado: sua felicidade piorará o estado dos infelizes, impedirá mais felicidade de entrar nele próprio – como se nossa lotação pudesse ficar esgotada – e será um atraso de carreira, por não passar a imagem de “seriedade”. Em suma: ser feliz, para essa espécie, é o melhor meio de ser infeliz. E ninguém precisa ter estudado o beabá da filosofia socrática para perceber o absurdo da coisa. Seria o mesmo, em versão agrária, que plantar melancia e colher jabuticaba: cultivar sementes que gerarão o seu extremo oposto.
Conhecendo o tumultuado coração dos culpólatras, os criadores do evento foram precisos na escolha do verbo que tanto me chamou a atenção: admita que você é feliz. Não “descubra” – porque não saber algo e passar a sabê-lo é algo que, normalmente, vem de fora pra dentro. Não “perceba” – porque não ver algo e passar a vê-lo é algo que nem sempre implica autoboicote, e sim distração. Admita que você é feliz. Vamos, confesse. Você já percebeu, você já descobriu, você sabe. Você não quer dizer só porque acha que dar-se por feliz é o mesmo que dar-se por satisfeito. Pois não é. Satisfação é a saciedade; felicidade é o apetite. Infelicidade é a fome completa, a falta profunda, a falta por definição. E não falo aqui de estômago (somente); falo do que o supera. Em tudo que nos compõe, a fome é uma tristeza enraizada, imensa, mas o apetite é uma alegria e uma necessidade. Pode-se e deve-se ser feliz mesmo sem estar satisfeito. É esse apetite feliz que nos faz degustar com prazer o que temos e sonhar com o sabor do que ainda não conseguimos. É o que, simultaneamente, nos apoia e nos chama, nos segura e nos atrai. A satisfação é a meta; a felicidade (como alguém já disse) é o caminho. E neste – há muito tempo! – você alegre, insistente, ambiciosa, ansiosa, segura, insegura, confiante, esperançosa, firme, forte, atrapalhadamente já está. Admita.

30 comentários:

Bruno R.Ramos disse...

Concordo plenamente. Fiz também essa observação.

FAGGH® disse...

passando para retibuir a visita ao blog celebrity poke , a na divida quanto o Toy do vascão não esqueci
abrç
www.celebritypoke.blogspot.com

Portal Veritas disse...

Será a felicidade algo viável? Será intrínseca à natureza humana?


Breno Bastos
Gerente do Portal Veritas

Diego Rodrigo disse...

Fernanda, como já diria o Tico Santa Cruz: "Vou mentir e dizer que não sou feliz"

Adm. Marcelo Leite disse...

Banho de espuma, foi ótimo.
Concordo, em partes.
Belo blog.

Vini e Carol disse...

Por isso que eu não costumo entrar nesses sites.
Coisas que para nós são insignificantes, para eles têem um valor até que alto.
E cá entre nós, esse povo "gringo" é muito tonto. Qualquer coisinha tem seu dia em especial.
Apenas para o comércio vender mais...

Abraço.

30 e poucos anos. disse...

Passou agosto e todos os culpolatras voltam a ser infelizes?
Felicidade é ... e não está !!! simplesmente É !!!

torradastostadas disse...

a felicidade não deveria ser algo eterno ou passageiro, mas algo mais espontâneo.

kikinhah disse...

Engraçado que criam dia para tudo...
Felicidade é momento.
Não acredito em felicidade plena, ngm é feliz 24 hs por dia, 365 dias por ano, por mais que seja uma pessoa de bem com a vida!
*.*
BjOs^^

Anderson Fontes disse...

Oi, obrigado pelo seu comentario e ainda mais pelas observações. Falo a voce que estou lendo um livro e não sei se já leu, Crepusculo, mas o que escrevi não convem a mim e por isso não ficou legal. É um assunto não predestinado a mim e mal escrito, pois antes de vc deixar esse recado um amigo meu já tinha me falado. Ainda bem que estou sempre procurando a melhorar e ainda mais com a ajuda de outros, nessa parte agradeço voce por ter comentado...
Um abraço e visite meu tuitter é...
linhaseencontro.
Mande sempre noticias.
Anderson Fontes

Kelly Christi disse...

Hj temos vários motivos pra ficarmos pra baixo, a vida corriqueira, as coisas que, de repente, não acontecem como planejamos, mas há momentos felizes sim, como nos versos humanizados que vc. mesmo citou no texto, coerente, por sinal.

http://www.pequenosdeleites.blogspot.com

FAGGH® disse...

opa! passando mais uma vez no seu blog , e no mesmo post hahuahuahu atualiza , no aguardo ...visita lá também

www.celebritypoke.blogspot.com

Ronei Vieira disse...

Não sabia dessas datas aí...rsrsrsrs... Ás vezes estou feliz... ser feliz o tempo todo é impossível e foge do que é ser humano...

Lizandra disse...

aahh, ahahaha, por coincidencia.. eu tava fazendo essa observação semana passada..
incrível! :*

beijos,
Liz!

Avassaladoras Rio disse...

Querida amiga avassaladora... Fernanda
Bem, está faltando um dia muito importante, acho vou cria-lo agora mesmo e colocar muitas estrelinhas num cartão bem fofinho kkkkk
"DIA DE COMENTAR BRILHANTEMENTE NOS BLOGS AMIGOS"...
A criatividade para tentat ganhar alguns trocados é enorme! espero que sobre algo pra nós tb kkkkk
O blog está delicioso!

palavras ao vento disse...

então todo dia e dia de alho..hahaha;;;muito bom....a unica coisa que sei e ke dia 9 e meu niver rsrsrs....

BLOGUEIRO EXECUTIVO disse...

Brilhante este post!

A.C Once Caldas - SM disse...

concordo em partes, porque nao é o tempo todo que conseguimos ficar feliz, ate porque a vida nao nos permite :D

seuvicio disse...

Don't worry, me reca.

Leiliane Lopes disse...

Olha o Brasil está caminhando para isso...
as camaras municipais só inventam datas comemorativas... daqui a pouco inventam um dia de DIZER QUE É FELIZ aqui tbm...


Dta

Manoel Leonam disse...

Eu nasci em agosto e não sabia desse papo de ser um mês feliz. Ser infeliz é tão mais fácil...

-=.[B]runOo.=- disse...

Não costumo frequentar este tipo de site não.
Porem irei obsevar melhor agora.
parabens pelo blog.

Márcio Daniel disse...

nem sempre dizer que é feliz significa se-lo de fato. e também felicidade depende do ponto de vista de cada um. o que ser feliz pra mim pode não ser pra vc, e tals...

Irving Maynard disse...

É muita onda viu!!!!!

dia de tudo que já se pode imaginar!

Mas até concordo com o dia de assumir que você é feliz. Só que acho que deveríamos assumir isso todos os dias de nossa vida, assim viveríamos bem melhr!!!

Pobre esponja disse...

elicidade vem e vai; até os mais depressivos tem seus momentos bons, assim como até os mais felizes tem seu momento ruim - eterno pêndulo fadado à humanidade.

abç
Pobre esponja

Wander Veroni disse...

Oi, Fernanda!

Acho engraçado esses sites de cartão virtual ficar criando data pra tudo...tem algumas que são criativas e servem para alegrar um amigo, por exemplo.

Mas essa em questão é interessante: tds nós deveriámos assumir mais a felicidade e não desejá-la.

Abraço,

http://cafecomnoticias.blogspot.com

Paulo Tamburro disse...

Excepcional postagem.

Olha ,não dá para comentar, nada senão, estraga o conjunto da obra!

Parebenizo e como carioca, sinto-me feliz por saber que os paulistas ao lerem esta postagem, até de raiva e ciúmes, anteciparão a parada gay.

Saudações vascainas, por enquanto esperando o dia da volta a primeira divisão.

Será UM DIA e tanto, concorda?(rsrs)

Um abração carioca, minha gente !!!

Voltarei sempre!

Alcione Torres disse...

Não sabia que existia dia para tudo isso! rsrs

http://sarapateldecoruja.blogspot.com/

Fábio Flora disse...

Admito em alto e bom som: sou feliz. Mas isso não significa que eu esteja satisfeito. Quero mais, muito mais. Minha lista de sonhos a serem realizados é extensa, do tamanho do infinito, de uma estória sem fim. Sempre existirá a próxima página, a próxima aventura, a próxima curva na estrada de tijolos amarelos. Se não existir, eu invento e sigo adiante – insistente, ambicioso, ansioso, seguro, inseguro, confiante, esperançoso, firme, forte. Como bem disse a Fernanda, felicidade é o apetite.

Richard disse...

Esses gringos são uns otários! Tudo eles fazem dia!! e a gente tá indo na onda!
MKT!!