23 de ago de 2009

Maracanices

video

Eu estava no metrô, a cinco minutos do Maracanã, quando meu celular tocou. Era Fernanda. Ela já estava lá, no meio de uma torcida bem feliz. Estou chegando. Os vascaínos estamos chegando – de carro, de ônibus, de trem, de caravela, de orgulho estampado no rosto. Encontrei minha pequena com a Cruz de Malta no peito, um sorriso nas bochechas e a inseparável máquina fotográfica na bolsa.

Entramos no estádio fácil, fácil. Sem filas, sem sustos, sem confusão. Uma organização digna de quem vai sediar uma Copa do Mundo e, no caso do Maraca, de quem vai sediar a final da Copa do Mundo. Tiramos fotos com o mascote do time – um portuguesinho bem simpático, daqueles de bigode típico (e honesto), chapéu de almirante e camisa com faixa de campeão –, compramos os tradicionais biscoitos de polvilho e copinhos d'água pra matar nossa sede de vitória.

Olê, olê, olê, olas dando a volta no estádio, flashes, tudo distraindo os olhos de homens, mulheres, crianças, velhinhos, famílias inteiras – até o Expresso da vez entrar no campo e multiplicar a festa, os gritos, os cânticos, as bexigas, as bandeiras, as bandeironas. Vamos vibrar, meu povão. É gol, é gol. A rede vai balançar. Somos vascaínos, temos amor infinito e o sentimento não pode parar.

Parou a vida fora do maior do mundo. Noventa minutos de alegria e esperança, sem medo, raiva ou desilusão. Só os bons ventos soprando a favor, empurrando pra bem longe as nuvens negras que um dia ameaçaram a viagem do heroico português. Meu pai pulava feito menino a cada gol – um, dois, três, quatro! –, a cada quase-gol, a cada passe, a cada lateral... Ele viveu quase duas horas de menino. (Cá entre nós, ele é um menino).

Acabamos o jogo 111 anos mais jovens, mais fortes, mais vivos. Ninguém à nossa frente, a não ser a multidão se dispersando e cantando de coração aberto. Fernanda e eu jamais vamos esquecer essas horas cheias, repletas, abarrotadas – quando tivemos de novo a certeza de que ser torcedor de fato, ser verdadeiramente popular (sem ser populista), é ser Gigante. Casaca!

30 comentários:

Rafael Bela disse...

Nossa , texto muito bem estruturado , e que o vasco possa a crescer em sua grandeza ....

Inez disse...

Acho lindo estádio lotado a torcida pulando, bandeiras tremulando e os gritos de gol.

Marcus Alencar disse...

Você consegue descrever muito bem de forma até emocionante a sensação de estar ali dentro de um grande estádio torcendo com várias pessoas que torcem pelo mesmo time que o seu, é maravilhoso, não é? Lembro de quando era mais ``vidrado`` em futebol e tive a oportunidade de ir ao Morumbi assistir a um jogo do Corinhtians, meu time de coração. Nossa, foi demais ver todo mundo cantando junto como se milhares fossem uma única e poderosa voz, um único e forte coração batendo em público vibrante aplaudindo pelo time.

J. C. David disse...

primeiro parabéns pela vitória do Vasco, jogou muito bem...

porém, vamos com calma, sobre a organização, ontem foi jogo de uma torcida só, o Vasco está bem, sem crise..então, a calma foi mais por esses motivos, do que propriamente a organização, que ainda está muito a dever, se querem sediar uma copa.

layne disse...

é tão lindo quando futebol e paz se misturam :D

simple_chi! disse...

hahahha nossa, todo esse orgulho por causa de um jogo de serie b?? xDD
brincadeira, to enchendo o saco.. :/
ficou beem legal o texto!! me deu vontade de ih no estadio!! T.T
soh fui uas vezes na minha vida.. ://
aah!! uma delas foi num jogo do vasco!! hahahahah soh que eu fui na torcida do botafogo, no engenhaao!! 1x1, gol do vasco nos primeiros.. oq? 3 minutos.. hahaha, foi ano passado!
ainda assim, prefiro botafogo!! *-* mas meu time do peito é o coringão!!!! :DDD euheuheuhueh

otimo blog!! ;*

seuvicio disse...

Não curto futebol, mas curti o post. Nada extravagante, nada superlativo. Para o bem ou para o mal. Apenas uma idéia bem escrita, na forma e no conteúdo.

Depois dizem q sou mal educado com todo mundo. Mentira, só reflito as próprias ofensas q me impingem, seja com idéias idiotas e pretensiosas, seja com gramática malacabada. E ainda aceito de boa eventuais esperneios.

Jesuis, eu sou mesmo um herói...

Antonoly disse...

Bom post o seu, pena que eu sou FLAMENGO hahahahhahahahhahahahha!

Rafa disse...

Que inveja! queria muito ir lá, ótimo texto brou

thaiana disse...

organização???
não curto muito futebol...
mais o texto ta muito bom

Cetreus Nominal disse...

Futebol é demais!
Essa sensação é encantadora, eu reconheço!

parabens pelo blog e adorei o modo que voce conta as coisas!

abraços.

FAGGH® disse...

Poh cara tenho que fazer um papertoy do vascão depois de uma dessas
abrç
www.celebritypoke.blogspot.com

FAGGH® disse...

Podexa que eu faço sim , essa semana eu vou trabalhar em cima do papertoy do vascão e da camisa azul do palmeiras
abrç
www.celebritypoke.blogspot.com

iti disse...

Futebol, a unica maravilha do Brasil.
gostei do post, texto bacana.
nunca fui a um estadio, gostaria de ver meu time, la na vila, o santos.
mais o time não vai tao bem ultimamente, quando melhorar seria otimo ir presenciar um jogo...
http://www.maquinazero.com.br/

Daniel Silva disse...

Belo relato. O futebol faz coisa mesmo.

Abraço

Anônimo disse...

Fala Primo,

Imagino que deve ter sido massa mesmo. Eu fico me perguntando, não sei se prefiro meu time na segunda vencendo ou ficar vendo na primeira fazendo fiasco.
Pelo menos o Rubinho venceu e meu domingo foi bem feliz no lado esportivo.
Mande lembranças para família

Abraços
Anderson Cesar da Silva

Fernanda disse...

Tenho o maior orgulho de poder dizer: "Eu fui!" Eu presenciei a festa histórica da torcida, a comemoração exemplarmente pacífica dos vascaínos, sua alegria incondicional – tão típica, tão honesta como os bigodes do mascotinho português. Aliás, pacote completo de maracanices: fotografei abundantemente as mil bandeiras coloridas, os mil ângulos do estádio; dividi dois saquitos de biscoitos Globo; comemorei os quatro gols pulando feliz como todos os outros 79.634 cruzmaltinos. Tudo bem típico e bem honesto. Principalmente a satisfação de constatar que o Vasco, se obviamente não ficou contente com o rebaixamento de série, em nenhum momento confundiu isso com o rebaixamento de ânimo ou de cabeça. O Vasco, em seus erros, não se aprovou, mas se apoiou. Não gostou de cair, mas a primeira coisa que fez ao descer foi começar a reconstruir os degrauzinhos de volta. Tive muito orgulho da torcida do Vasco, do carinho simples e gratuito de quem transformou um jogo contra o Ipatinga numa barulhenta final de Copa do Mundo. Tive orgulho de um grupo que, sem evidentemente glorificar uma fase ruim, conseguiu convertê-la em mais um episódio de interessante beleza na história do time – aquele que muitos vascaínos, talvez hoje ainda crianças, vão narrar aos seus descendentes cruzmaltininhos. Junto com o orgulho, tenho a certeza de uma coisa: depois desse Vasco X Ipatinga, se eu não fosse vascaína, vascaína teria me tornado. E, certamente, muitos se tornaram – mesmo que ainda não o saibam. Vida longa e próspera ao Gigante!!!

Administrador[NB-KS] disse...

cara... tu eh meu xará ^^
meu.. como eu keria i no maraca viu..
vc tem sorte mesmo xD

___________________________
Naruto, Episódios, Filmes, Mangás
e outros animes
http://narutobayo-ks.blogspot.com

Renan disse...

Viva ao futebol brasileiro... mas falando sério, cara... Vasco!?

FAGGH® disse...

Poh toh prometendo o do vascão já faz um tempo e vou fazer , já viu a promoção nova do blog talvez interesse .
abrç


www.celebritypoke.blogspot.com

Karol disse...

O estádio cheio é mesmo uma maravilha de arrepiar os cabelinhos do braço!

Anônimo disse...

Fábio,há vários caminhos para encontrar a felicidade: ver nosso time jogar e vencer é energia, coragem e alegria com certeza.
Sou flamenguista, estamos em crise,
mas conheço a satisfação da vitória.
Amigos felizes transmitem vida.
Beijos, M.M.

Inez disse...

Nunca pude ir, mas, tenho uma vontade enorme de assistir uma final de campeonato no estadio com dois times grandes.

Thay disse...

Digno!

Vanessa Lee disse...

Me deu até vontade de ser vascaína!

30 e poucos anos. disse...

Nossa...do jeito que vc descreveu parecia q eu estava lá junto torcendo e vibrando.

Anderson Fontes disse...

Meu caro, lhe agradeço mesmo pela critica e em compensação fiz um comentario em meu tuitter sobre o assunto e em meu blog tbm.
Espero que goste.
sempre Alerta,

Anderson Fontes

palavras ao vento disse...

nunca fui em estadio grande...so fui no daki na minah cidade...cabe mas ou menos uns 15 mil...eu imagino umm maracana lotado...deve ser show...

seuvicio disse...

Valeu Florido, as vzs eu me embanano nos acentos e plurais e regras gramaticais, qdo perceber algo e quiser dar um toque, não se acanhe q não sou recalcado qto a esse tipo de coisa.

Rafael Rocha disse...

Não sou vascaíno, mas achei bacana esse espírito de um verdadeiro torcedor dentro do estádio. Sem confusões, sem brigas, sem conflitos.

Muito bom mesmo, se isso acontecesse em todos os jogos. Quem sabe até despertaria a vontade de ir a um estádio um dia desses. =)

Abraço.