14 de mai de 2009

Todo dia é dia das mães

Mãe é uma casa ambulante. Não digo isso pelo fato de ela ser nosso primeiro endereço físico, mas por ser o eterno país emocional. Cada mãe é uma nacionalidade diferente, uma cultura distinta, um idioma separado. Quem perde sua mãe fica órfão de si mesmo; nesse instante, rasga-se o mapa de sua história bem na parte do “X”. Perder a mãe é perder o passaporte no meio da viagem: fica-se em stand by no planeta, perplexo numa vida estrangeira, eternamente impedido de regressar ao seu eu de origem. Aquele momento em que você prossegue na jornada, mas sua bagagem foi parar na Tanzânia; simplesmente não se sabe por onde (re)começar.
Mãe é o único lugar, debaixo do sol, onde existimos antes de existir. O único lugar deste mundo onde vivemos sem ter idade. Os únicos nove meses de bonus track no universo, o único estágio probatório de vida. Sim, é verdade – como alguns adolescentes resmungam, diante da preocupação às vezes descabelada de suas mães – que nunca pedimos para nascer. Porém, uma vez nascidos, também não queremos descer do trem. Mãe é o nosso ticket to ride, o nosso ingresso para o show. Mãe é aquilo que nos permite conhecer a cor turquesa, a lua cheia, o Magic Kingdom, a vitamina Itambé, as novelas das oito, os filmes do Spielberg, as músicas dO fantasma da ópera. Mãe não é apenas um milagre, nem é apenas quem nos acha um milagre: é igualmente o nosso portal para todos os outros milagres passados e futuros. Mãe é o corredor com rodinhas que liga nosso avião à terra que ansiamos por visitar. Mãe é o aeroporto de Orlando sem fila de imigração. Mãe é o nosso campo de alunissagem. E a bandeirinha de nós mesmos (como aquela fincada pelos astronautas na superfície conquistada) nem é necessária quando pousamos: mãe é nave multiúso que, enquanto nos transporta, já está em nosso destino final, já nos abriu caminho e preparou terreno aconchegantemente, convocando o exército de um berço, dois travesseiros antialérgicos e alguns elefantinhos de pelúcia para amaciar a queda.
Mãe é muito esquisito. É a única pessoa física que abarca uma penca de pessoas jurídicas; a única entidade conhecida que tem licença de ser, simultaneamente, meio de transporte, residência, hotel, passaporte e pista de pouso. Mãe é substantivo coletivo. Mãe é um substantivo tão concreto que só pode ser abstrato. Mas, felizmente para todos – e contrariando todas as leis de lógica, sensatez e sanidade –, é um substantivo comum. Um seu dia de vida é que é incomum demais para caber inteirinho em 24 horas, como o dos outros terráqueos que não são mães. E por isso, pela lógica avessa à dos calendários, pela legislação diplomaticamente estabelecida das mães – porque mãe também é consulado e sindicato –, o dia embrulhado para elas deveria corresponder, cronologicamente, a um dia que elas dedicam aos filhos. Ou seja: mais ou menos 8.784 horas e 17 minutos, corrigidos pelos últimos índices de inflação. Um dia menor do que esse, reservado para elas, é definitivamente um roubo. E não foi isso que você aprendeu com a sua mãe.

33 comentários:

Joey disse...

gostei do blog!

^^

http://webfuel.blogspot.com/

Rosangela A. Santos disse...

Simplismente divina a homenagem .. adorei .. e concordo plenamente .. srsr
Ficou divertido e verdadeira .. rsrs

Abç.

disse...

O texto é lindo, mas só de ler as duas primeiras frases, tão verdadeiras, já fiquei emocionada.
Mãe é sinonimo de amor incondicional!!!
Abços

Rogerio disse...

concerteza mae e tudo...e nosso porto seguro...alguem que smepre poderemos contar....

Adm. Marcelo Leite disse...

Todo dia é dia delas!
Sem clichê, é a pura verdade!

pensamentomacho disse...

mãe é foda, conhece a gente como ninguem e merece todas as homenagens possiveis
parabens pelo blog

Rooh Ludwig disse...

Que texto maravilhoso, eu também homenageei as nossas mães. Se quiser, passa no meu pra ver: http://rooh-ludwig.blogspot.com/

Sucesso!

Lady T disse...

Muito bom o seu texto, as mães merecem. Muito legal seu blog.

http://king-of-notebook.blogspot.com/

Deluz disse...

Divinamente escrito, como divinas são as mães. E por ser uma delas, te agradeço pela homenagem.
Beijos!

luis bueno disse...

mãe é tudo mesmo...

Rubens disse...

Com certeza temos que acabar com essa hipocrisia de se lembrar das mães só na data comercial, todo dia é dia de beijar sua mãe, dar carinho, conversar com ela.

VIVA AS MÃES

Inez disse...

Sem comentários, o texto é lindo demais. É uma homenagem maravilhosa a todas as mães.
Parabéns!

mafia171.com.br disse...

linda homenagem, e principalmente pelo que titulo, afinal não precisamos de uma data marcada para comemorar o dia das mães e homenagealas afinal todo dia devia ser dia das mães

Iasmin Cavalcanti disse...

todo dia é das mães!

=)

Rodolfo Soares disse...

Deve ser dificil ser mãe, os homens invejam não saber o que é...

Abraços
Rodolfo
http://maranhensidade.blogspot.com

Kleber disse...

Realmente mãe é um ser ímpar que deve ser idolatrado.

Arlindo disse...

cara ser mãe é fácil,é como ser pai,só que sem a dor do parto,agora se você não sabe amar um filho ai é foda

Camiz... disse...

Adorei o texto!
as mães merecem...

www.conto-um-conto.blogspot.com

keroj disse...

Mães são tudo e mais um poucodevemos tudo a elas.
Obrigado pela visita

Kazuki-Kun disse...

Massa seu blog cara, parabéns.


http://animesubers.blogspot.com

Gúh! disse...

Vou chamar minha mãe pra ler ;)

Fábio Flora disse...

Mamãe querida
Meu coração por ti bate
Como caroço de abacate!

Mamãe querida
Meu coração por ti bate
Como dentes de alicate!

Mamãe querida
Meu coração por ti bate
Como sinos de chocolate!

(Uma singela homenagem by Chaves)

Guga disse...

curti muito cara!!!!!!
muito engraçado:
Mãe é muito esquisito. É a única pessoa física que abarca uma penca de pessoas jurídicas; a única entidade conhecida que tem licença de ser, simultaneamente, meio de transporte, residência, hotel, passaporte e pista de pouso.
kkkkkkkkkkkkkkkk

minha mãe fala todos os dias que dia da mãe são todos os dias!!!

Nando disse...

EU AAAMOO MINHA MÃE!!!

Arthur Alves disse...

Mãe é tudo!
Não tenho nem palavras...

Parabéns pelo blog, e principalmente pelo post. Muito bom!!!

Abraços

BRUNO disse...

Ótimo texto! Costumo dizer a minha mãe que, embora seja contra essa massificação comercial que o dia das mães, impostos por empresários bem espertinhos kkkkkk, ela sempre merece presente. Embora eu ache que dar presentinho não é nada quanto ao que uma homenagem às nossas mães representa.

Parabéns pelo blog!

http://tempo-horario.blogspot.com/

Abraços!

BRUNO

Sena do Aragão disse...

Muito lindo e justo!

Mãe merece todo o nosso carinho e reconhecimento todos os dias.

Pati disse...

Isso é ão verdade, adorei o texto.


Críticas de cinema, vote na enquete!
www.cafedefita.blogspot.com ;*

30 e poucos anos. disse...

Parabéns pelas sábias palavras

Wander Veroni disse...

Oi, Fernanda! Belo texto para homenagear as mães. Parabéns! Adorei cada descrição que vc usou!!!

Abraço

Anônimo disse...

Fernanda, se você escrevesse apenas: mãe, amo você, já levaria nota dez.
Com tudo isso e com tamanha originalidade, só me resta dizer: parabéns pela sensibilidade !
Marcia Moretzshon

Arlindo disse...

é todos os dias é dia das mães pra quem tem.

como eu não tenho,não sei como é isso.

deve ser bom,né.

Anderson Cavalcanti disse...

Excelente texto!
Você tem um jeito peculiar de escrever e o faz SUPER bem.
Parabéns!