7 de mai de 2010

Menina maluquinha

Ela acorda no meio da noite, muito assustada. Sonhou mais uma vez que caía na toca do coelho. Sonhou não, pesadelou. O medo da Rainha Vermelha, o medo de perder a cabeça, o medo de ficar louca. Um medo cheio de razão, por mais irracional que possa parecer. Porque Alice está perdendo as estribeiras. Se é que já não perdeu. Mas isso não é necessariamente ruim. Ao contrário. Pode ser o início de uma vida sã.
Por mais bizarro que seja (e é, ou não), voltar a Wonderland – o estranho mundo recolorido pelo Chapeleiro Tim Burton – é tudo que Alice precisa para crescer. Mas não crescer tanto. Alto lá. Ou seria baixo lá? O fato é que, às vezes, diminuir um bocado é o melhor a ser feito – se quisermos passar por uma porta minúscula, que se abre com uma chavinha menor que nosso dedo mindinho.
Depois a gente aumenta, diminui, diminui outro tanto, aumenta de novo, estica e puxa até descobrir o tamanho ideal (que não existe de se pegar, pois não há vestido azul que nos sirva a vida inteira). Alice e Tim, se serve de consolo, acharam os amigos ideais numa terra cheia de maravilhas, mistérios e perigos: um chapeleiro com os olhos maiores que qualquer espelho e as caras do Johnny Depp, um gato com o poder de aparatar, além de uma intrépida trupe de bichinhos à moda de Nárnia.
Acharam também a vilã mais que ideal: mimadíssima, crudelíssima, tiraníssima e issimamente cabeçudota. Uma delícia vermelha. Como um morango mofado. Talvez ela fosse mais útil – e, melhor ainda, desagradável – do lado de cá da toca do coelho. Nosso mundinho anda igualmente cheio de maravilhas, mistérios e perigos, não necessariamente nessa desordem. E uma rainha como ela cortaria sem dó nem piedade aquelas cabeças que não merecem os corpos que têm.
Mas voltemos a Alice, que, depois de voltar a Wonderland e cumprir sua missão impossível (de se desacreditar), volta à sua vida louca vida, nada breve – aquela vidinha mais ou menos, tantas vezes sem mais nem menos, em que a maioria das lagartas morre ainda no casulo, em que poucas e boas (como ela, menina maluquinha) viram borboletas e voam muito além do arco-íris, sem perder sua saudável loucura.

16 comentários:

Nayh disse...

é verdade ne..
bem curiosa essa historia, kk
mais gostei do titulo enh!

Bikelando disse...

Ainda não assisti ao filme mas a crítica que você fez está bem diferente de todas as que eu já li a respeito.

Rogerio disse...

as vezes e recomendável ter uma vida igual da alice....para sair dessa rotina nossa do dia a dia...ja pensou...ia ser muito louca...

esdras b disse...

Ouvi uma crítica de Jorge Furtado sobre o filme dizendo que Tim transformou Alice numa recalcada com uma espada na mão querendo salvar Wonderland, aquela ladainha de sempre, de que o cara se vendeu pros padrões de Hollywood, tirou todo o encanto da história original e blá, blá, blá. Ainda assim não diminuiu em nada minha vontade de assisti-lo, amo essa história, é minha história infantil preferida e por mais q Burton tenha feito lá suas modificações para transformá-lo num blockbuster, viajar no maluco e maravilhoso mundo de Alice sempre vale a pena.

Renan Paglia disse...

Realmente, concordo com o cara ai de cima! Sair da rotina as vezes é mto bom

Antonoly disse...

Só pelo seu post já me deu vontade de conferir essa "nova" Alice nos cinemas.

Talles azigon disse...

gente amei sua releitura.
ainda não vi a Alice do Tim,mais fiquei curioso.principalmente agora

indivídua disse...

a história é maravilhosa, alice é uma doidera sã! sobre o filme eu não posso opinar, pois ainda não o vi... mas admito que não sou a maior fã do tim burton... mas sua crítica está muito interessante!

http://celuliteseoutrasestranhezasdemulher.blogspot.com/

A.C Once Caldas - SM disse...

olha eu nem sabia sobre o filme, ouvi comentarios ruins sobre o filme, sei la cada um tem seu lado de pensar e vendo a critica e a historia sao verdadeiras ao mesmo tempo.

mixaria disse...

Texto mt engraçado ! Gostei mt do teu blog !

Guilherme Bayara disse...

Adorei a critica! Bem diferente!

Daniel Silva disse...

tô doido pra ver o filme, mas ainda não consegui!

Anônimo disse...

Gostei do texto! muito bom! Diferente...
Sucesso com o blog!

Liipee disse...

eu gostei do texto, ri.Ainda não vi o filme, mas pretendo ver,

bom, parabéns pelo aniversário ae,
te desejo tudo de bom, :)


ps: engraçado, há anos atrás, eu escrevia em blogs mas divulgada frenéticamente, e quando volto a divulgar, quem eu vejo? você,
:)

Gustavo Des disse...

Eu vi o filme e não gostei muito, esperava mais. Achei a versão dele de ''A Fantástica Fábrica de chocolates'' bem melhor

Abner Queiroz disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk minina maluquinha:D