28 de fev de 2010

Medo de lagartixa

Hoje acordei com uma vontade inexplicável de listar meus medos: os eternos, os temporários, os sérios, os bobinhos, os que me fazem parar, os que me fazem seguir. Alguns são tão óbvios e me causam tamanho pavor – o medo da morte, por exemplo – que não merecem o espaço de uma cova. É melhor fingir que não existem; se, por acaso, eles insistirem e derem o fúnebre ar da desgraça, o jeito é não ter medo – de fugir. É o que faço. Corro pra bem longe.
Só não quero ficar longe de quem gosto. Nem pensar. A distância é outro medo eterno e sério. Daqueles que só fazem uma crônica mais cinzenta do que deveria. Minha ideia inicial era escrever sobre o medo da colorida comida japonesa (já superado com os devidos sushis e sashimis); da cabeleira selvagem do Caetano tropicalista (felizmente há muito substituída por fios grisalhos e comportados, bem menos assustadores); e do Baixo Astral, o ultravilão que por pouco não descoloriu o arco-íris de energia da Super Xuxa.
Também tenho medo de passar a vida inteira e não rabiscar uma obra-prima que seja; que seja da literatura, do cinema, da tevê, do Youtube. Um videozinho mambembe de quinze segundos, um flagrante filmado com a câmera do celular, uma bobagem com a poesia da “Dança do quadrado”; se tiver um milhão de acessos e a minha assinatura, já está valendo – valendo, quem sabe, uma visitinha ao programa do Jô, um convite para o sofá da Hebe!...
Sonhos... deixemos eles de lado. Porque o assunto aqui são os medos. Meu medo cotidianíssimo dos livros mal escritos, dos alunos mal-educados, do juiz que vai apitar o próximo jogo do Vasco, do metrô abarrotado e irrespirável na hora do rush. Claro, tenho também aqueles medos mais “coletivos”, compartilhados com boa parte da humanidade: o medo dos políticos que guardam dinheiro na cueca, dos homens-bomba que ameaçam a paz do planeta, das catástrofes provocadas pelo aquecimento global, dos figurinos da Lady Gaga.
Mas verdade seja dita: nenhum desses medos é tão forte quanto o horror (o medo ao quadrado) que tenho das lagartixas que moram no quintal aqui de casa. Só de pensar naquelas criaturinhas frias e rastejantes – saindo de seus covis no cair da noite – já sobe aquele arrepio!...

15 comentários:

Luiz Cirino disse...

Acho super engraçado o modo que vc se refere as lagartixas, mas realmente, elas são um horror mesmo!

Dih disse...

Kra axo que tds temos medo...o meu e daquele boneco horrivel do fofão que minha mãe colocava no meu quarto quando mais novo, eu acordava e fika encarando ele a noite tda...rsrsrs
mas como vovò dizia kda louco e suas maninas né..rsrsrs

parabens pelo blog kra sucesso!

Pobre esponja disse...

Hahaha, tadinha das lagartixas...eu acho maior barato.
Gostei da parte do medo de não produzir uma obra prima, ainda que seja algo como a dança do quadrado (entendi bem o que quis dizer, este medo é reciproco).

abç
Pobre Esponja

Marcus Alencar disse...

Eu compartilho alguns dos seus medos (Lady Gaga, por exemplo, rs) e entendo que muitos deles as vezes são necessários para nos fazer aprender algum tipo de lição fundamental para nosso caminho ou, as vezes, também funcionam como um despertador para a realidade, como o medo de perder o emprego. Essa energia acaba até canalizando uma motivação para tentar superá-la para colocar algo diferente no lugar: força.

Lina disse...

Eu tenho medo de lagartixa. E pavor do Jô. :-P

Nanda disse...

HAUHAUHAUHAUHA medo de lagartixa. Fala sério!!
Eu tbm tenho medo de estar longe das pessoas ao quais eu gosto. Tenho medo da escuridão.
Medo de não ser amada.
O medo é sempre uma coisa chata, mas é natural, é a nossa defesa. Já pensou de todos nós não tivessemos medo de nada. Esse mundo seria um caos. :s

rs

XOXO '

http://canalcereja.blogspot.com/

Bruuh Fevers disse...

eu naum tenho medo de lagartixa!!Mas tenho medo de palhaço!!HUHSUHAUSHUAHSUHAUS
Medos a parte,blog legal!!

Bjs
http://imodelblog.blogspot.com/

Andréia Luz disse...

Querido amigo, lembro-me de uma conversa sobre medos há algum tempo atrás, nos bancos amarelos do Instituto de Letras...Só não me lembrava que você tem medo da mesma coisa que eu, na verdade, não tenho medo, tenho PAVOR de lag...Acredita que não gosto de pronunciar, ler e escrever o nome desse ser abominável?
Beijos e saudades!

Deane Castro disse...

Hehe adorei o seu relato.
Olha, medo eu não tenho, o que tenho é nojo... assim como de barata e outros bichos nojentos.. arg

Vestibulando disse...

ótimo texto bem desenvolvido e nos faz ler até o fim. É gostoso de ler e mesmo que o " medo" não seja um dos assuntos mais interessantes, sobre muitos aspectos, você escreveu de uma forma gostosa de apreciar.


Parabéns

Visite


www.blog.maisestudo.com.br


Abs

Mais Estudo

Chris Marques disse...

Eu sabia! Não podia ser a única pessoa no mundo a ter medo de lagartixa. Só de pensar naquele ser nojento me dá até coisas...

Millena Blogueira disse...

Também tenho medo de lagartixa, caiu na minha cama, quando eu dormia,

gedy disse...

nussa eu só tenho medo de bandido, ou seja vivo morrendo de medo...

legal o blog..
ass:asnera.com

L. Oliver disse...

Quando eu era criança tihna medo do assassino do Pânico.;

Kauana Galindo disse...

Não tenha medo das lagartixas... hehe! Vou escrever um artigo sobre elas no Life Animal's!
Adorei teu blog... muito interessante!

Abraçoss,

Kauana Galindo.