15 de ago de 2010

Balabanianas

Aracy é um vulcão em atividade. Um coração que não envelhece. Uma senhora locomotiva com motor Ferrari de mil cavalos. Um casarão onde cabem todas as alegrias. Um pecado rasgado, um deus-nos-acuda. Uma caixa de bombons cheia de surpresas, transas e caretas. A surpresa que sai da Toscana com sabor de mortadela; a transa que sai de baixo, de cima, do avesso; a careta que sai da Armênia com três "filhinhas" a tiracolo. Mangia che te fa bene!
Ela é Gemma Mattoli, a irmãe superprotetora, quiçá overprotetora de sua família. Uma leoa que cuida dos seus com unhas, dentes e o que mais estiver à mão: La Madonna, a sacola da feira ou até um rolo de macarrão. Ecco. O que veramente importa é desmascar la Chiara, aquela schifosa, farabutta, civettona senza pudore. Capisci?
Já foi Cassandra Matias Salão Pereira para a sociedade, Cascacu para os íntimos e Cabeção para o Caco Antibes. Atendia ainda pela alcunha de Dona Casseta, viúva de um brigadeiro que só lhe deixou de herança Magda, a filha cuja maior – senão única – especialidade era o canguru perneta e outras zoologias. Morou tempos no apê do irmão (Vavá), no Largo do Arouche, onde destilava seu laquê e desfilava vestidos coloridamente esvoaçantes: como esquecer o amarelo quindim vitaminado? Ou o roxo hematoma gigante?
Também foi Dona Armênia, um senhor de muita respeita, defensor do moral, das boas costumes e de suas filhinhas: Gérson, Gera e Gino (ou Gina, sei lá). Sua cabelo vermelha tinha tanto força e atitude, que a fez atravessar novelas – de Rainha da sucata (1990) a Deus nos acuda (1992), as duas do cambalacheiro Sílvio de Abreu –, e ela acabou se tornando um dos maiores highlanders da teledramaturgia brasileira.
Gemma, Cassandra, Armênia, Filomena, Marta, Maria Faz Favor, Violeta, Gabriela, até Shafika Sarakutian, Aracy balabaniou geral. Um gerador em altíssima voltagem, movido a muito sangue e passione. Uma atriz no limite do curto-circuito – capaz de explodir a cena, de fazer voar pelos ares gargalhadas e choradeiras, de botar o público (feliz da vida) na chon.

14 comentários:

Vaunei Guimarães disse...

muito bom o texto...caramba ela eh muito boa....mereceu essa homenagem....gostei muito...abç!

http://vauneiguimaraes.blogspot.com/

joão victor borges disse...

Não consigo assistir essa novela. Não entendo Itaguês.

Abraço! ;)

http://anpulheta.blogspot.com

Macaco Pipi disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
q é issoo

Inez disse...

Adorei seu post, uma bela e merecida homenagem a uma grande atriz brasileira.

Kelly Christi disse...

ótima atriz, talentosissima e mereceu mto. o q foi posto neste texto

bju

http://www.pequenosdeleites.blogspot.com

Guilherme Lombardi disse...

Não assisto novela a séculos, minha paciência pra essas coisas freaks acabaram a muito tempo!

Jamile Fernanda disse...

Muito bom o texto.
Parabéns!

Alaor Pedroso Netto disse...

belo blog, parabens...
http://professorpoetalaor.blogspot.com/

PENHA''' disse...

Ela é uma atriz que ja fez de tudo, ou praticamente tudo em novelas! ela é mesmo um casarão, e com tudo que tem direito e mais um pouco (:

Gil disse...

Originale muito bonita sua homenagem!

Mister Neurotic disse...

Ela é uma das melhores atrizes da novela Passione. Tanto é que me faz sentir ódio mortal de Gemma. Óh Gemma, como não gosto de ti.

Sabrina Napoleão disse...

Retribuindo a visita que agradeço muito, volte sempre!!! Parabéns pelo seu blog que é muito bem feito!!!

Gabriel Pozzi disse...

ontem quando li o texto do limonada acabei por ler esse aqui também, muito bom!
achei muito digna a homenagem, e muito bem feita, aliás... eu era pequeno, mas o Sai de Baixo me marcou muito nos domingos a noite, e era muito bom ver a Aracy "Balabaniando" com Caco Antibes, Magda, Vavá, e todos os apelidos recebidos que você bem citou em seu texto!

abraços
http://songsweetsong.blogspot.com/

Wander Veroni disse...

Excelente texto, Fábio! Uma homenagem e tanto a uma atriz com A maiúsculo que, como diz Manoel Carlos, não é só uma artista, mas sim uma grife. Abraço :)