21 de dez de 2009

Delicatessen

Assim como os já manjados (com trocadilho, por favor) A festa de Babette, Como água para chocolate, Chocolate e Ratatouille, o atual Julie & Julia é sobre a alquimia do cozinhar. E, assim como todos os seus pares, Julie & Julia não é apenas sobre a alquimia do cozinhar – usando as artes da panela ora como símbolo, ora como colete salva-vidas em relação ao mundo cruel. O de praxe, o de sempre. Mas aquilo que, em A festa de Babette, era sinal de gratuidade e generosidade; que, em Como água para chocolate, era desafogo dos sentimentos recalcados; que, em Chocolate, era veículo de transformação social; e que, em Ratatouille, era demolição dos preconceitos – torna-se agora, no filme de Nora Ephron, a própria chance de realização pessoal. Uma luzinha no fim da pergunta “O que estou fazendo aqui?”. É um posto relativamente novo. Babette, Tita, Vianne e Remy, protagonistas dos outros filmes citados, simplesmente cozinham – têm esse dom sem grandes explicações e constroem suas histórias já contando com o talento prévio. Julie Powell e Julia Child, personagens-título do longa atual, aprendem a cozinhar – são suas histórias que as levam a construir, desenvolver e aperfeiçoar o dom, dando-lhe não mais o jeitinho de poder mágico, e sim de recheio e tempero dos dias. Eis que a alquimia se mostra como um fim, e não um meio (ou começo). Julie e Julia não são, a priori, perfeitas fadas da cozinha, embora tenham nascido com a semente; é a cozinha que, depois de muito frequentada e buscada, lhes dá o condão e as asas que não tinham em sua vida “pregressa”.
O fato de Julie e Julia não terem poderes mágicos, porém, não significa que Julie & Julia não os tenha. É uma daquelas guloseimas com selinho Wonka de qualidade, filme perfumado e generosamente saboroso como uma delicatessen em que se passeia, de propósito, para ficar com água na boca dos cheiros e paladares variados. Daquelas histórias onde não há nada que não deixe na língua um resíduo bom de biscoito amanteigado e baunilha. Para os profissionalmente desiludidos, serve de bandeja a comfort food de dois relatos de sucesso. Para os blogueiros desesperançados, o exemplo de uma iniciativa que acertou o ponto. Para os cozinheiros enrustidos, a pitadinha de coragem que acaba de encorpar o molho. Para os românticos (in)confessos, o açúcar de dois casamentos ultrafelizes (que, no entanto, não são capazes de diabeticar ninguém). Para os fãs de Meryl Streep, a diva em mais uma deliciosa composição de personagem, afetado na aparência, mas rigorosamente reconstituído. Para os neofãs de Amy Adams, a fofa cada vez mais fofa – cupcake que desmancha nos olhos de tão macio, mas na medida certa. Para qualquer cinéfilo de bom gosto, o petisco extra: mais um adorável Stanley Tucci na vasta galeria de adoráveis Stanley Tuccis, sempre roubando (justamente) algumas atençõezinhas do prato principal.
No momento em que todas as telas se voltam para o arrasa-quarteirão Avatar (que não deve ficar fora aqui do blog por muito tempo), veja Avatar, mas dê-se de sobremesa esta outra delícia de essência puramente natalina, familiar e quente como uma ceia repleta – e, como a ceia repleta, de resultado não totalmente perfeito, mas sinceramente feliz. Em meu humilde cardápio retroativo de 2009, é quitute já garantido entre os top ten. Bon appétit!

9 comentários:

Inforblog disse...

Muito bom seu blog e belas posts.
parabéns e feliz natal!
INFORBLOG

Nova Quahog disse...

que maravilhaa meu bom!

Pobre esponja disse...

Tem um filme ótimo, sob essa mesma temática, tão rica e pouco explorada, chamado "Estômago". É nacional. É ótimo. Conhece?

abç
Pobre Esponja

Vivica disse...

Hummmm...fiquei com água na boca. E com inveja, pois não sei cozinhar nadica!

Leo Pinheiro disse...

Como cinéfilo, eu não poderia perder a oportunidade de ver oi filme, e...

É bonzinho, divertido...

Não mais que isto.

P.S.: VÊ SE APARECE NO CRI-CRÍTICO!

Habib Sarquis disse...

Parabéns pelo blog. Ótimas dicas. Valeu.

Blog: Cultura Dinâmica - www.culturadinamica.wordpress.com

PCN disse...

Poxa, deu até vontade de assistir!
Você sabe instigar o leitor... haha
Parabéns!

http://papeisriscados.blogspot.com/
&
http://twitter.com/PCNxD

Igor Pinheiro disse...

também acho que deve ser um filme, gosto das duas atrizes e a história parecem ser interessante
e, sinceramente, prefiro ver esse do que Avatar, mas verei Avatar por causa de toda a hype em torno do filme

Sabrina disse...

Ainda não vi esse filme, Fernanda. Deixo-lhes uma sugestão: Garçonete.

http://www.interfilmes.com/filme_17842_Garconete-(Waitress).html

Beijo