12 de jun de 2009

Cinzinha básico

Na discussão velha e boba, briga-se para decidir oficialmente que cor teria o amor e, por consequência natural, o namoro: vermelho (picante, combustível)? rosa (delicado, rendadinho)? azul (etéreo, flutuante)? Eu particularmente acho que, em se tratando de palheta, a coisa é simples: o famigerado amor tem a cor que for de preferência do freguês – ainda que seja aí um amarelo-omelete ou um roxo-batata. Não importa o tom do modelito que seu namoro vai usar na estação. Importa que se for namoro mesmo, propriamente dito e de escritura lavrada, o espírito do dito-cujo vai ser cinza.
Antes que o leitor arme cara de “como assim?”, cheia de indignação cromática, esclareço: não falo daquele cinza de tempestade, cor de dia ruim, de mar enjoado, de chuva que não passa, de vida que já passou. Falo daquele cinza-equilíbrio, o cinza-símbolo, o da fuga dos extremos, o que corre habilmente pelo meio. Aquele que tem a elegância de driblar graciosamente os perigos dos excessos – a indiferença ou a posse, o afastamento ou a dependência, a grosseria ou a pieguice, a frieza ou o incêndio. Não se trata de ser morno: trata-se de adequar a temperatura ora a um momento de inverno, ora a um de verão (e, às vezes, de primavera ou de outono). Não se trata de ficar em cima do muro: trata-se de saber quando e onde construí-lo – saber o que partilhar e o que proteger, o que unir e o que separar. Namorar de verdade, no duro, é cinza. Um cinza esperto, um cinza diplomata, um cinza-jeitinho, de brincar com as possibilidades, explorar alternativas e inventar soluções. Mais ou menos como viver.
Viver não deixa de ser um grande namoro com o mundo: estamos (ou deveríamos estar) o tempo todo seduzindo e nos deixando seduzir por cada circunstância que nos cai sob os olhos. Mas não há sedução possível nem no total silêncio, nem na fúria desatada. Para que eficientes, namorar e viver devem ter um comedimento de brisa, que mantém o fogo na medida certa – não é nem o vácuo que impede a combustão, nem a ventania que apaga os fogos fracos e torna destrutivos os fortes. Não tem namorado (para lembrar o célebre mote de Artur da Távola) quem não tem a leveza de caminhar brisamente, de ser e de explorar o cinza, de adivinhar desejos novos, de descobrir os antigos, de criar surpresas impensadas – ou evitá-las, quando ainda não é hora –, de reconhecer a diferença entre o olhar de agora e o de um segundo atrás, entre a voz de hoje e a de ontem; de compreender sem interrogar, de estudar sem invadir, de ceder sem se trair, de conseguir sem cobrar. Namoro não é esporte, no qual o empate torna as coisas entediantes. Namoro é concerto: beleza morando justamente na simultaneidade de notas, que escorregam uma pela outra mas correm em seu próprio espacinho, preenchendo o que a outra não é, o que falta à música para ser.
Neste Dia dos Namorados (e em todos os demais), tenha a malandragem do sopro, da sombra, da alternativa. Ainda que acredite se tratar “de uma data comercial”, faça a gentileza de o dizer cinzamente: dizer que acha todos os dias igualmente importantes, mas que a-do-ra ter um pretexto a mais para mimá-lo(a), por exemplo. Se você for um(a) namorado(a) autêntico(a), com selinho do Inmetro, isso será a mais absoluta verdade. Namoro mesmo – e de escritura lavrada – é tão mais resistente e inoxidável quanto mais litros de delicadeza tiver. Para você e seu amor, um Dia dos Namorados verde, amarelo, anil, cor-de-rosa e carvão, marrom-castor, roxo-batata ou abóbora-Comlurb – totalmente cinza. Fica mais fácil remover a famosa pedra indo exatamente pelo meio do caminho.

29 comentários:

JúNiOr_DeSeNhO disse...

A cor, como vc disse, deve ser do gosto do freguês... O importante é ter um sentimento bonito para fazer valer não só este dia, mas todos os outros. O jogo da sedução é algo bonito, a maladrangem para seduzir alguém, num aspecto positivo, é bonito de se ver.


Bom Post!!

Felipe disse...

Texto brilhante. Estou sozinho nesse momento mas acabei de terminar com uma menina que me traiu. Digo menina porque sou novo ainda, tenho 15 anos. Mas confesso que ela me faz falta. Gostaria de poder dar um beijo cinza nela!

http://cerebro-musical.blogspot.com

ganésinho disse...

Feliz dia dos namorados para npis solteiros;
Tomara que meu dia cinza equilíbrio chegue logo !

Viviane Souza disse...

Lindo texto!
Concordo com você!
Normalmente se utiliza a cor vermelha para expressar "coisas do coração". Mas, o vermelho é a cor da paixão, daquele sentimento irracional, louco, descontrolado, que te leva para outra galáxia! E o amor é o sobrevivente da paixão, é quando os defeitos aparecem ou quando você começa enxergá-los, mas não se importa... é cheguei a conclusão que o amor é cinza...

Zone Core disse...

AHuAh Adorei o texto ficou muito bom parabéns!

Concordo com vc, no que disse!

Show t mais!

Sabrina disse...

Feliz Dia dos Namorados para vocês! Que tenham dias ainda mais felizes e amorosos em suas vidas! :-)
Beijo carinhoso!

Anônimo disse...

Amor é delicadeza, sutileza, é chegar de mansinho e saber que um dia tudo se dissolverá como água cristalina a escorrer de nossas mãos molhadas...
O amor é acromático, descorado, esbranquiçado e, em lances passageiros ele se torna iluminado, monocromático, colorante, florido, vivo, até ofuscante.
E,nessa mistura de tons, palidez e pigmento,desbotamento e aquarela, a vida segue,com altos e baixos até "Quando a indesejada das gentes chegar..." M.M.

FILHO DO CÉU disse...

Se branco for amor
e preto for carinho
Meu coração e listradinho


meu blog
http://superblogueiros.blogspot.com


Quem quiser um script de auto surf gratis entra em contato

D´Meritis disse...

adorei seu Texto
e como voce disse
A cor dever ser da preferencia do fregues

Leo Pinheiro disse...

Meu amor é amarelo. Ou melhor, pelas amarelas. Sou doido por japinhas! hehe

Ana Célia disse...

concordo com o comentário acima: a cor deve ser da preferencia do fregues! =p

obrigada pelo comentário no Redescobrindos São Paulo!

Anônimo disse...

Oi, Fernanda!
Fiquei tão envolvida no seu trabalho que até me esqueci de dizer que você tem a dose certa, que aprecio demais suas colocações,seu modo de "brincar" com as palavras.
O presente e o futuro são inteiramente seus.
Beijos, M. M.

avassaladorasrio disse...

Querido amigo avassalador...
Gosto da ideia de equilibrio , de bom senso.. de calma e sensação de brisa...Voce tem toda razão! a cor do amor é exatamente assim...
seja do laranja comlurb ao roxo batata e até o lendario "cor de burro quando foge"...

Lailah disse...

Muito bom o texto, criativo, bem feito, parabéns, nota 10! Vou seguir o blog! gostei :D

OBS.: conheci o blog pelo orkut :)

Rubens disse...

Nãos ei que cor tem meu amor, mas amo minha namorada e futura esposa por tudo.

BLOGdoRUBINHO
www.blogdorubinho.cjb.net

Daniel Silva disse...

ach que no meu caso o problema eh ainda mais cedo, em descobrir o que eh o amor e como amar... depois disso, pode ser qualquer cor que combinara com as folhas e a pintura estara perfeita.

Alan Salgueiro disse...

De longe, muito longe mesmo o MELHOR texto que já li sobre a data em todos os blogs que li até o momento. Uma reflexão e defesa de uma ideia com classe e diálogo com o leitor, com argumentos originais e muitas vezes poéticos. Bato palmas de pé!

Marton Olympio disse...

Bom texto.
Tb falei dos dias dos namorados, de uma certa forma em meu Blog.
Se puder, apareça.

Vc escreve bem!
PARABÉNS!

http://martonolympio.blogspot.com/

:)

Clip Emoção disse...

Eu adoro Blogs com Textos Interesantes o Seu Blog ta Demais um Otimo Trabalho pra você aew !Abraços

Mário Sérgio disse...

Cinza tá mais pra cor da indiferença, na minha opinião. Mas o texto é tão bom, que quase me fez mudar de idéia.

Carlos Vin disse...

Dá pra ver que você está toda Cinza hein garota.. rs
O amor é complicado como os humanos e bonito como as cores...
Parabens pelo texto...
E que os seus dias seja cada vez mais cinzas, de amor é claro.. rs

Um grande abraço!!

Fábio Flora disse...

O amor deve guardar o azul da tranquilidade, o laranja da amizade, o verde daquela esperança com sabor de infância, o amarelo solar de um sorriso, o violeta das boas surpresas... e, claro, o vermelho moulin-rougico – pra completar o arco-íris cheio de energia. Desse jeito, seguindo pela trilha coloridamente cinza, não haverá pedra que resista no meio do caminho.

Daniel Silva disse...

epa, será que mudei de ideia ou ainda acho que a cor tanto faz?

valeu por passar no meu blog que já está atualizado, quando puder convido a passar novamente!

http://apenas-daniel.blogspot.com/

Anderson Fontes disse...

Minha cara, estou lhe presentiando com este selo que está no meu blog e espero que siga assiradamente

Abrçs

http://linhasdoencontro.blogspot.com/

Rha Belloti disse...

Aai que post legal!!

E adorei principalmente o finalzinho que diz que todos os dias é dia dos namorados pra quem ama!! Super fofo!!!

Rosangela A. Santos disse...

eu tb concordo com vc .. cada um escolhe oq acha melhor .. rs rs

E para selebrar o amor não precisa de datas. cores .. ou sei lá oq .. basta amar .. rsrs

Abç.

Cerejinhäa disse...

Adorei a postagem, nunca tinha parado para pensar assim *-*
Muito bom seu blog. Beijoos

Saulo Lopes disse...

Sei lá, mais acho que tanto faz a cor... Rsrsrs...

Daniely disse...

Ui!
Achei sinestésico e delicioso, texto lindo^^"

Adorei a figura do "namoro de escritura lavrada"

rs.

p.s: Adorei as resenhas dos filmes acima.