27 de abr de 2009

Pensando com meus botões

A nova novela das sete já se instalou na telinha de mala, frasqueira e nécessaire, mas até agora só consegui assistir (voluntariamente) ao primeiro bloco do primeiro capítulo. Não é que eu jamais tenha engolido nenhuma novela do autor, Walcyr Carrasco. Ao contrário: achei muito bonitinhas O cravo e a rosa, Chocolate com pimenta, Alma gêmea (à qual assisti integralmente, apesar de considerar o mote da trama abobríssimo). Cheguei até a encarar Fascinação, em priscas eras, ainda no SBT. De uns tempos pra cá, porém, não tenho mais tido todo esse ânimo – e não foi difícil chegar à conclusão do que, afinal, começou a me irritar tanto nas crias do Walcyr: a percepção de que ele tende a escrever para a tela o que, na realidade, caberia com mais felicidade... num palco. Preferencialmente, de teatro grande.
Não significa que Walcyr Carrasco seja um mau criador de histórias para a tevê. Normalmente ele não enrola, não deixa fazer barriga no enredo, inventa subtramas que mantêm o interesse e o movimento. Também tem o mérito de excelentes iniciativas, como a de mostrar a vivência de uma adolescente soropositiva na escola (em Sete pecados) e a de incluir uma personagem feita sob medida para uma atriz cega (na atual Caras e bocas). Palmas para ele, neste sentido. O problema maior tem sido o dos diálogos. Digo que suas linhas se aconchegariam melhor no palco porque não procuram o naturalismo próprio da tela, não buscam mimetizar o jeito de falar característico do dia-a-dia. Os constantes monólogos, por exemplo, são responsáveis por boa parte de minha irritação. A questão não são os monólogos em si – eles aparecem também em outras novelas –, mas o fato de os personagens monologantes dizerem em voz alta, para si mesmos, informações até biográficas sobre si mesmos (que eles, em sã consciência, apenas pensariam). Parece razoável que Dafne (vivida por Flávia Alessandra), enfrentando o drama do desaparecimento de seu avô, se apoie tristemente na varanda do hotel e diga aos seus botões: “Oh, como é estranho que eu perca meu avô no mesmo lugar onde perdi meus pais, quando ainda era menina...”?? Tal recurso de “transmissão de dados” para o espectador não fica nem um cadinho confortável nessa mídia, assim como não ficam o overacting sempre presente nos folhetins do autor – especialmente nas situações “cômicas” – e o uso teimoso do futuro do presente “simples” pelos personagens das novelas (exemplos hipotéticos: “Ele encontrará você amanhã”, “Tudo se resolverá”), no lugar da forma composta que todos usam na vida real (“Ele vai encontrar você amanhã”, “Tudo vai se resolver”). Esse histrionismo meio clown – ironicamente retratado pelo título da novela em curso –, esses diálogos montadinhos que fogem ao estilo low profile do cotidiano, exigem distância entre plateia e ator, exigem ausência da câmera que disseca a vida e o vivente; exigem a nudez do palco italiano. Na tevê, a redundância da superinterpretação somada à lente de aumento deixa tudo com ares de ópera filmada.
É provável que as novelas mais recentes de Walcyr – Sete pecados (a pior) e Caras e bocas –, por não terem a delicadeza natural das seis horas, e sim o teor de comédia quase obrigatório das sete, tenham exagerado os pontos fracos do autor, para quem seria muito mais vantajoso permanecer com tramas de época mais românticas (e essencialmente mais formais no linguajar). O horário atual não lhe faz justiça. Tanto que por enquanto, mesmo sabendo do potencial de Carrasco como timoneiro de folhetim, os botõezinhos do meu controle remoto têm me aconselhado a manter distância. Quem sabe em outro bat-horário ou bat-canal?...

36 comentários:

Natan disse...

Sei la concordo, mas discordo tbm.
Eu gostava de Sete pecados, não pela historia em si, que as vezes cansava. mas para ver o show que os atores davam. acho que foi uma das novelas do genero com melhores atores, mas sim o autor teve sorte. sorte talvez que não haja com os atores de caras e bocas. Não por falta de talento, mas por falta de quimica. Por falta de tempo. não ha tinta loura que não me faça ver alzira e muito menos não er damião. Não é culpa dos atores mas do diretor de casting =D
O unico a sair de um sucesso e não deixar vertigios é o mauro mendonça que em nada me faz lembrar o seu gonçalo.
Acho que o problema é que são muitos problemas de uma vez só...

Hique disse...

Mais um caso de bom profissional que se perde por força doa valores pregados por quem lhe emprega, pelas circunstâncias...

A Globo f*%&$ com o talento de qualquer um.

Uriel Gonçalves disse...

Bem colocado o problema das pessoas pensarem em voz alta e do "isso se resolverá"


sei lá, algumas coisas eu acho muito forçado e nunca fui admirador de novelas mesmo ;]

Mas o que mais vai me impressionar é o Carlos Lombardi escrevendo alguns capitulos de caminho das indias, já que ele costuma escrever coisas com mulheres com pouca roupa e engraçadas.

Bom, quando Bahuan, Surya, Opash e outros começarem a esquecer dos problemas e tirar as roupas, ja vai dar pra saber que os textos são do Carlos Lombardi

Eu amo a E.Y. disse...

Ah, sem dúvida o que o colega do post acima disse é a mais pura realidade. Tudo tem que ser moldado nos padrões globais e tem que dar audiência.

Tania Montandon disse...

Nossa, não consigo ter paciencia com novelas mais, eu assistia qdo criança, agora não dá. Mas achei muito bem escrito e elaborado, argumentado seu texto. Vc escreve muito bem!
beijos

Marcus disse...

essas novelas tão cada vez pior
kkk

Junior disse...

Olha eu vou ser bem sincero com você
nao assisto novelas, portanto prefiro nem opinar sobre essas coisas
rsrs
a televisao virou um lixo pra mim...so uso pra ver noticia, jogar videogame e assitir dvd.

jaque, jaque... disse...

Foi-se a época em que eu perdia um tempo assistindo novela.Ultimamente estou achando tudo tão igual que perdi o total encanto.


:D

Veiga disse...

NÃO ASSISTA NOVELA!

aHSUHuas

Jonh171Gatinho disse...

axo essa novela horrivel

sofismo disse...

Televisão brasileira está um lixo há muitos anos.
viva as séries e a internet, principalmente os blogs
Parabéns pelo post.
Sobrando um tempinho, visite meu blog

curiosidadesdoplaneta disse...

Putz... nem assisto essa novela, nem sei o que comentar!!!!!

Nat Valarini disse...

Olá!

Faz uma pá de tempo que não assisto novelas (acho que a última foi 'O profeta' que eu assistia picado, dia sim, uma semana não e por aí vai!).

Sobre as novelas da sete, das poucas que vi, nenhuma me agradou (ops, acho que 'Mulheres de Areia foi trama das 19h, estou certa ou minha memória me engana? Se foi, é a única que me envolveu!).

Esse esquema 'rasgado' e por que não dizer 'forçado' imposto pelo horário me afasta, não consigo gostar!

Achei a tua matéria interessante. Deu para ter noção de que a novela anda se perdendo... rs...

Kiso!

Caio Coletti disse...

Não assisto novela da sete desde que "Pé na Jaca" acabou (era uma espécie de diversão culpada, ria bastante). Acho que tenho um mau gosto para novelas, mesmo que no fundo saiba que estou vendo uma coisa escrita com a habilidade de um chimpanzé ("Os Mutantes", por exemplo, é pura diversão trash). Costumava gostar de Walcyr Carrasco, principalmente nas crônicas dele para a Veja São Paulo. Mas ultimamente ando meio desligado desse mundo da teledramaturgia brasieleira, acho que me cansei mesmo... enfim, muito bom o post.

Abraço

Leo Pinheiro disse...

Carrasco é, entre aspas, um autor da nova geração.

Gonfesso que não vejo novela, mas gosto de saber que a uma renovação, mesmo que discreta, do quadro de autores dos folhetins.

Pluralidade é sempre bom...

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

as coisas boas desta novela:

1 os pelados ainda não estão pelados, como pasquim

2 certamente será uma novela leve, como todas as tramas... e tem um elenco de encher os olhos.

coisas ruins

1 o elenco ou é bom demais ou é um horror.

2 qual a necessidade de enfiar o otaviano na trama?

biscoito20 disse...

Bons são os diálogos da Malhação. Depois esses atores vão para novela como esa aí... Tem que dar coisa ruim mesmo!

Andrea disse...

sabe que a primeira coisa que eu pensei quando ví a chamada desta novela vou em uma novela antiga chamada TI TI TI... vc lembra dessa novela?

Diego Rodrigo disse...

Ô Fernanda, minha cara, desculpe minha ingnorância em meu comentário mas não acompanho novelas, muito menos ainda globais.

=/

Ju disse...

Aii essas novelas de ultimamente estão cada vez piores... mas entre todas eu ainda consigo assistir é Paraíso; também é a única que é mais ou menos.

htp://juhhpnik.blogspot.com

Gabriel Messias disse...

a globo é como uma gravadora que pega uma banda que ta fazendo um certo sucesso assina um contrato e muda o jeito que a banda tem de tocar para se encaixar na midia... atores e programas tem que ter o padrao globo de audiencia ops qualidade

SecretWords disse...

atorei o blog, vou seguir!

Adriano disse...

Eu nao vejo muitosentido mesmo nessas novelas.
E agora parece mesmo tudo padronizado.Um horario de epoca ,outro comedia e outro tratando de temas atuais(que quase tudo eh mentira )
Mas fazer o q se a maior parte desse pais se foca nisso.
Eu ja deligo minha tv nesses horarios, prefiro ficar com meus cd's, eh melhor!!!

Antonoly disse...

Atualmente, quando dá tempo, pois estudo de noite, vejo a novela das 20:00 horas, e mesmo assim, a novela não está lá essas coisas!

Branca disse...

Ainda não consegui sentar e assistir nenhum capitulo dessa novela. Sinceramente, estou cansada de tanta repetição e falta de criatividade (acho que pratiquei um pleonasmo).

Na minha opinião as novelas há muito estão irritantes e até ofensivas a inteligência do telespectador.

Adorei o seu blog. Quando tiver um tempinho me faça uma visita.

bjo

artecence disse...

adorei seu post sobre a novela,tambem não consigo assistir esse tipos de novela,sinceramente Walcyr já fez novelas boas....parabéns pelo blog

se puder
====================
http://artstag.blogspot.com/
========================

Felipe disse...

não sou muito de acompanhar novelas,
e essas novelinhas da sete
quando vejo algum capítulo sempre acho um lixo,
esse humor meio forçado,
sei lá, num cola mais,
é minha opnião...

bom post,
tenho usado mais o controle remoto
do DVD, ahhHAHAHHAÁ


abraço aÊ

http://garfosemdentes.blogspot.com/
http://garfosemdentes.blogspot.com/
http://garfosemdentes.blogspot.com/

P. Florindo disse...

Acho que as pessoas estão se cansando de toda previsibilidade da novela. Tem sempre o casal que é separado por alguém, daí eles se separam devido a uma trama e no final casam.

Nunca tive gosto para novela das 7 porque elas abordam muito o corpo, deixam o talento de lado e investem em corpos para atrair a audiência. Audiência, aliás, que vem sendo problemas para a Globo. Volta e meia ouço falar que novela tal é fracasso de audiência. Acho que toda essa pressão prejudica os autores e o desenrolar da trama.

30 e poucos anos. disse...

Faz muuuuuito tempo q não acompanho uma novela global ... !!!

Breno Reis disse...

nao tenho como discordar. e ainda digo mais sobre a novela: podre! rsrs

abraço

Fábio Flora disse...

Uma palavra ajuda a definir o estilo Walcyr Carrasco de escrever novelas: tatibitate. Em alguns (muitos) momentos, ele subestima a capacidade do telespectador de entender uma cena ou lembrar um acontecimento. Mas isso não tem a ver, como alguns disseram em seus comentários, com uma espécie de manipulação da Globo, com uma tentativa de se enquadrar as novelas num suposto "padrão Globo de qualidade". O problema das novelas do Walcyr Carrasco é o próprio Walcyr Carrasco. Pois na tão combatida Globo temos outros autores que produzem, sim, novelas muito boas, como Sílvio de Abreu e Gilberto Braga. E quem não se lembra da recente "A favorita", da revelação João Emanuel Carneiro, com trama, diálogos e personagens muito bem construídos?

Wander Veroni disse...

Oi, Fernanda!

Gosto do texto do Walcyr Carrasco. Também gostei de "Sete Pecados", apesar dos pesares, a novela até que não foi tão ruim. Mas essa "Caras e bocas", não engoli. Primeiro pelo título que não tem nada a ver com a trama.

O fato dele questionar o valo da arte com o macaco que pinta as obras de arte é interessante, mas a novela é cheia de clichês...não me interessou em nenhum momento.

Sem querer fugir do assunto, mas já fugindo, gostaria de dar uma sugestão de crítica para vocês. A novela da Rede Record, "Poder Paralelo", me surpreeendeu.

Na primeira semana, a trama estava com muitos defeitos de diálogo, mas parace que a direção caiu em si, e a novela ganhou uma agilidade impressionante.

A discussão que eles estão fazendo sobre os vários tipos de tráfego de produtos e influência, mostrar que o crime está na classe alta e que os pobres, no morro, por exemplo, são só instrumentos para as organizações criminosas é muito interessante.

Se vc ainda não assistiu, vale a pena dar um crédito, assim como "Chamas da Vida". A Record, quando quer, consegue fazer boas novelas.

Abraço

Marcelo A. disse...

Não curto o Walcyr. Gostei de Xica da Silva e adorei O Cravo e a Rosa. Só. Acho as histórias dele repetitivas e sem graças. Muita torta na cara. Sempre. Há outras maneiras de se fazer humor, vide Sílvio de Abreu (nos velhos tempos) e Cassiano Gabus Mendes...

Moniquetudybom disse...

Agora eu entendi porque eles falam jogralizado e com essa linguagem que ninguém usa mais.

douglasfert disse...

Caras e Bocas é o que do que Mais DO Mesmo?

Arlindo disse...

que coisa,eu realmente não vejo esses tipos de entretenimento brasileiro